Di Lua | Inspirando você a viajar mais e viver experiências transformadoras

O Blog Di Lua te ajuda a planejar todas as etapas de sua viagem, desde a tirar passaporte até o que fazer em diversos lugares. Dicas de Viagem e Roteiros

Planejamento de viagem: Quais documentos são necessários para viagem internacional?

Você sabe quais são os documentos necessários para viagem internacional? Neste post eu explico para que serve e como tirar cada um deles.

Uma viagem internacional precisa de uma planejamento muito maior do que normalmente fazemos quando viajamos dentro do país.

E esse planejamento vai além de fazer roteiro, comprar passagens, reservar hotel, comprar passeios ou trocar dinheiro, por exemplo.

É extremamente necessário saber quais documentos são necessários para realizar sua viagem.

E como alguns deles podem demorar à ficar prontos, este deve ser o ponto inicial do seu planejamento de uma viagem internacional.

Neste post listei os quatro principais documentos e como tirá-los.

Documentos necessários para uma viagem internacional

Passaporte

O primeiro documento mais importante para se fazer uma viagem internacional é o passaporte. Ele é um documento de identificação oficial utilizado internacionalmente e obrigatório para o trânsito entre países (embora haja exceções, veja a seguir).

Além disso, é no passaporte que é carimbado o visto, espécie de permissão para entrar em alguns países.

Sem um passaporte brasileiros só conseguem viajar pelos países da América do Sul que fazem parte do Mercosul. Esses países são: Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela.

No entanto é necessário apresentar a Identidade e ela não pode estar rasurada. Além disso, a foto precisa ter no mínimo dez anos.

Diferente de outras situações, a CNH não vale como documento de identidade nesse caso.

Para tirar o passaporte você precisa preencher uma solicitação no site da Polícia Federal, informando seus dados pessoais, endereço, profissão, entre outros.

Então depois é preciso pagar uma taxa para a emissão, atualmente no valor de R$257.

Após o pagamento é necessário comparecer ao posto da Polícia Federal para tirar fotos e as digitais e aguardar a emissão do seu passaporte. Veja o passo a passo completo aqui.

O passaporte vale por dez anos e após esse período é necessário fazer um novo. Além disso, é necessário que ele esteja válido por seis meses a contar da data da viagem.

Visto

O visto também é extremamente importante na hora de planejar uma viagem internacional. Ele não é bem um documento, mas sim uma espécie de permissão que alguns países fornecem para que estrangeiros possam circular em seu território.

Cada país tem sua própria regra de visto, alguns é necessário solicitar antes, outros você solicita na hora.

Desta forma, é necessário que você olhe no site do Ministério de Relações Exteriores qual exigência do país para onde irá viajar.

Visto Norte americano

Nos EUA, por exemplo, você precisa tirar seu visto com antecedência. Ainda assim, o agente de imigração do aeroporto norte americano ainda pode negá-lo.

Se ele for aceito, o agente irá carimbar a quantidade de dias que você pode ficar no país, que é de até 180 dias.

Assim, só é indicado comprar a passagem aérea, reservar hospedagem, comprar ingressos de passeios após ter o visto permitido.

Até o momento eu só tirei o visto norte americano. E diferente do que várias pessoas me disseram, foi bem tranquilo.

Aqui tem um post completíssimo sobre isso e alguns relatos aqui no canal.

Visto de turismo – Europa

Já nos países da Europa que fazem parte do tratado Schengen, você pode permanecer até 90 dias apenas com o visto de turista.

Ele é fornecido assim que você passa pela primeira imigração e não é necessário solicitar um novo ao viajar para outro país europeu.

Certificado Internacional de Vacinação

Assim como o visto, cada país tem sua regra relacionado à vacinas. No site da Anvisa tem um parte só com assuntos relacionados à viagem, em que há orientações diversas, além da relação de vacinas exigidas por cada país.

Normalmente a vacina solicitada em viagens internacionais é a da Febre Amarela. Entretanto, vacina contra malária ou até raio-x do torax pode ser solicitado dependendo do seu destino.

Para minha viagem aos Estados Unidos não precisei do Certificado Internacional de Vacinação pois minha conexão foi dentro do próprio país.

Entretanto, caso eu tivesse uma conexão no Panamá, por exemplo, eu precisaria apresentar a comprovação de que havia tomado a vacina da febre amarela. 

Como tirar o Certificado Internacional de Vacinação?

Por conta do meu intercâmbio para Malta, precisei fazer o documento recentemente. Ele é dos documentos de viagem internacional necessário para que brasileiros entrem na Europa.

Há duas formas de tirar esse certificado hoje em dia. Uma é totalmente online, através do site da Anvisa.

Você só precisa você preencher um formulário, enviar a digitalização de sua carteira de vacina e de um documento pessoal.

Depois de aprovado, você recebe o certificado, imprime e assina.

No entanto, nem todos são aprovados, pois é necessário ter o lote da vacina, nome da enfermeira e data no seu cartão de vacina. No meu tem duas vacinas de febre amarela, mas a primeira dose, que tomei em 1993, só tem o ano. 

A outra opção é preencher o formulário e agendar a visita na Central do Viajante.

Como eu iniciei o processo para fazer online e não obtive resposta, acabei indo lá direto no Ciams Pedro Ludovico, que é uma das centrais de Goiânia, a outra é no próprio aeroporto.

Atenção: não deixe o certificado de vacinação para última hora, pois a vacina de febre amarela demora uns dez dias para fazer efeito e a data que você a tomou estará no seu certificado, logo podem te barrar no aeroporto.

Seguro Viagem

O Seguro Viagem nada mais é que um plano de saúde temporário, com abrangência internacional, que funciona no período contratado e pelas regras definidas com a empresa.

Ele é obrigatório para entrar nos países europeus, por exemplo, e é totalmente essencial em uma viagem internacional. Por isso, mesmo que você não o use, é “melhor prevenir do que remediar”.

Muitos dos seguro viagem além de cobrir despesas médicas e farmacêuticas, cobrem também a perda ou roubo de bagagem, remarcação de bagagem, translado médico, translado de corpo, hospedagem após alta hospitalar, despesas jurídicas, entre outros. Ele não é bem um documento, mas um contrato.

Tem um post completo sobre Seguro Viagem aqui. Além disso, caso vá viajar e queira contratar um, compare aqui os melhores preços e opções.

Espero que este conteúdo possa ajudar você a planejar sua próxima viagem internacional.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Voltar ao topo